quarta-feira, 21 de setembro de 2016

CD Julio Iglesias Libra

Um dos discos mais conhecidos do Julio Iglesias lançado aqui no Brasil foi este, de 1985. Lançado numa época em que Julio ampliava suas fronteiras mundo afora e também em nossas terras, esse trabalho, intitulado como Libra, trouxe cinco canções totalmente versionadas para o português, além de outras em espanhol e inglês.

Em português, temos a faixa de abertura Quando te sinto mulher, Tu e eu, Direi, Essa covardia e a mais famosa Coração apaixonado que, segundo me consta foi feita em nossa língua e só gravada neste idioma. Ainda em português, numa mescla com seu espanhol, temos a faixa Abril en Portugal. Totalmente em espanhol temos Ni tu gato gris ni tu perro fiel, Todo y nada e Felicidades (Dueto com Pedro Vargas). Em inglês, temos o clássico de Sinatra I´ve got you under my skin, numa brilhante releitura.

Julio é, sem sombra de dúvidas, o mais brasileiro dos cantores estrangeiros e Coração apaixonado é um de seus clássicos aqui em nossas terras. Com certeza, pra quem curte a música romântica dos anos 70/80 e 90, reconhecem nele uma contribuição imensurável, pois muitos casais se apaixonaram sob sua trilha sonora, representada aqui por este grande título.

Um forte abraço a todos!

domingo, 18 de setembro de 2016

♫Só você♫

Escutando o mais recente lançamento do José Augusto, Duetos, já comentado aqui anteriormente, houve uma faixa que me despertou para uma belíssima canção de seu repertório. Incrível é que eu já havia ouvido antes, já que se trata de uma regravação, mas talvez com esta nova releitura, que a meu ver está definitiva, a canção me tocou mais profundamente e percebi quão bela é ela.

Trata-se da canção Só você, originalmente gravada em 1989 e que Zé Augusto resgata este ano em um belíssimo dueto com Aviões do forró. Uma canção que nos remete à uma época em que ainda se faziam boas canções, românticas, tocantes, que expressavam em si todo o sentimento nutrido em uma alma apaixonada.

Só você
José Augusto e Paulo Sérgio Valle

Difícil entender
O mundo sem você
Não dá nem pra tentar

A gente se encontrou
Se amou e se gostou
Não dá pra separar

No jeito de pensar
Nos gestos mais banais
Nós somos quase iguais

No sonho mais comum
Nós dois viramos um
Somos uma vida só

Eu acho que esse amor
Já fez de nós sol e verão
A rima mais perfeita da canção

A vida é mais bonita
Com você perto de mim
E o coração pequeno
Pra um amor tão grande assim

Eu quero só você
Nos momentos de ternura
Quero só você
Nos desejos, nas loucuras
Quero só você
Não arranque do meu peito esse amor
Que é todo seu

Não posso te perder
Que sentido tem o mundo inteiro
Sem você
Eu não quero me enganar
Vivendo por viver
Eu preciso tanto ter você
Pra sempre em minha vida

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

CD e DVD Cássia Eller acústico MTV

Um dos Acústicos MTV (que saudades de produtos musicais com qualidades ímpares, como os desta série) com mais sucesso foi este da saudosa Cássia Eller, lançado em 2001 e, por uma infeliz coincidência, foi o último álbum de carreira da cantora, que partiu para a eternidade no mesmo ano. Com uma sonoridade muito legal, agradou a um público variado, sobretudo aos mais jovens.

Como grande intérprete, Cássia passeou pelo repertório de Chico Buarque, Gilberto Gil, Cazuza, Frejat, Marisa Monte, Renato Russo, Lennon e McCartney e, sempre Nando Reis, que também dirigiu o projeto bastante exitoso, que ofereceu grandes sucessos como Malandragem, E.C.T., Todo amor que houver nessa vida, Por enquanto, Relicário, Partido alto, Queremos saber, Quando a maré encher e O segundo sol.

Com a participação especial de Nando Reis, Nação Zumbi e Rapper Xis, completam o repertório Non je ne regrette rien, Vá morar com o diabo, 1º de julho, Luz dos olhos, Nós, De esquina, Sgt. Pepper´s lonely hearts club band e Top top. Um álbum histórico, sobretudo para o rock nacional e para àqueles que sentem em Cássia Eller toda a potência vocal e de musicista que ela nos apresenta!

Um forte abraço a todos!

domingo, 11 de setembro de 2016

♫Simples assim♫

Do álbum mais recente do Lenine, já comentado aqui, destaco esta pérola como a melhor do CD, a meu ver. É possível que alguns fãs mais fervorosos do meu conterrâneo destaquem outra, afinal, o trabalho é um primor, como já foi dito. Mas, destaco Simples assim por muitos fatores, sobretudo pela música fazer o estilo que mais gosto no Lenine que é inteligência na hora do compor letras e acordes, tudo dito em seus insuperáveis violão e voz. E isso me faz lembrar o conjunto de sentimentos ruins que habitam a lembrança de um onze de setembro, depois do atentado de 2001 e como eles poderiam ser opostos se vivenciássemos coisas assim.

A letra da canção, parceria com Dudu Falcão, fala de simplicidade, da necessidade de ver e vivenciar as coisas sem complicação, com mais fé (apesar de tantas adversidades, pelas quais cada história nossa trilha), com mais vontade de plantar e colher união entre todos. Seria muito interessante se pudéssemos gritar aos quatro cantos que filosofias musicais como esta ainda existem, graças a Deus, porque tudo pode mesmo seguir simples assim:

Simples assim
Lenine e Dudu Falcão

Do alto da arrogância qualquer homem
Se imagina muito mais do que consegue ser
É que vendo lá de cima, ilusão que lhe domina
Diz que pode muito antes de querer
Querer não é questão, não justifica o fim
Pra quê complicação, é simples assim

Focado no seu mundo qualquer homem
Imagina muito menos do que pode ver
No escuro do seu quarto ignoro o céu lá fora
E fica claro que ele não quer perceber
Viver é uma questão de inicio, meio e fim
Pra quê a solidão, é simples assim

É, eu ando em busca dessa tal simplicidade
É, não deve ser tão complicado assim
É, se eu acredito, é minha verdade
É simples assim

E a vida continua surpreendentemente bela
Mesmo quando nada nos sorri
E a gente ainda insiste em ter alguma confiança
Num futuro que ainda está por vir
Viver é uma paixão do inicio, meio ao fim
Pra quê complicação, é simples assim

Um forte abraço a todos!

domingo, 4 de setembro de 2016

♫Avião♫

Djavan é mesmo o máximo. É como um grande avião, que muitos embarcam e que todos admiram e querem voar na sua obra e encontrar horizontes cada vez mais fascinantes. Ele faz parte de um grupo seleto de artistas que, vira e mexe, quando voamos rumo ao seu repertório, descobrimos coisas cada vez mais interessantes. É o caso dessa canção, que talvez não figure entre as dez ou quinze mais clássicas de seu repertório de shows, mas que está entre as dez melhores, a meu ver.

Avião tem uma letra que grita a dor de alguém que quer se libertar de alguém, de um amor que aprisiona e impõe uma vida que representa pouco e o personagem se cansa dessa vida e prefere a liberdade. Tudo dito com muita classe e com aquela pegada clássica que caracteriza sua obra.

Avião
Djavan

Pode quebrar, sofrer, cair, descer, contorcer de dor
Não vou mais me prender a você 
fazer o mesmo show 

Vou bater na porta da vida, receber e pagar
Sem ter que me entregar a ninguém, 
seu muito pra mim é pouco

Eu quero a paz e viver solto
Vai dizer que sou louco, sou não
Eu me cansei de ser seu avião, não vou voar não, dessa vez...

Pode quebrar, sofrer, cair, descer, contorcer de dor
Não vou mais me prender a você 
fazer o mesmo show 

Vou bater na porta da vida, receber e pagar
Sem ter que me entregar a ninguém, 
Nem me conformar com pouco

Eu quero a paz e viver solto
Vai dizer que sou louco, sou não
Eu me cansei de ser seu avião, não vou voar não, dessa vez...

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

♪Partituras musicais dos fãs - 31 - Jéfferson Carlos♪

Este é nosso amigo Jéfferson Carlos. Natural de Serra talhada, sertão de Pernambuco, Jéfferson é mais um dos grandes fãs do Roberto Carlos e também da música brasileira. Conheci Jéfferson através do facebook e para sabermos um pouco mais sobre o que esse grande ser da terra natal de Lampião pensa sobre música e sobre o rei, temos hoje o prazer de contar com sua presença nesta série, respondendo às nossas perguntas:

1 - Uma música?

♪Você é minha (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1992).

2 - Um momento musical inesquecível?

♪Por meus pais serem comerciantes, desde muito pequeno frequento a lanchonete deles. Na correria do dia-a-dia, todos trabalhando, havia uma mesa onde ficavam os pratos para o self-service e eu ficava embaixo dela, com um cabo de vassoura e cantando o trecho "mulher de 40 eu só quero ser o seu namorado". Era engraçado e quando eu terminava todos aplaudiam. Tinha até uns clientes que diziam: "cadê o Roberto Carlos? Só vim por causa dele" kkkkkkk.

3 - Qual show do Roberto gostaria de ter visto e não pode ver?

♪O show que ele fez no Recife em um ano recente, onde a Tv Asa branca deu a chance de alguns fãs irem ao espetáculo e conhecer o Roberto.

4 - Você coleciona algo em termos de música?

♪Sim. Meu acervo é voltado para a obra do Roberto Carlos. Atualmente, só tenho DVDs. Mas pretendo expandir muito essa coleção. Quero aproveitar o presente momento, isto é, se você me permitir, para agradescer a alguns amigos como João Francisco, Alinaldo Mota, Pedro de Salgueiro, Adriano Thales... Mas em especial, gostaria de agradecer a "meu amigo de fé, irmão camarada" Edilson Garcia. Este cara é quem me acompanhou e me ajudou desde o início. Quero deixar claro que não vendo e nem troco dvds, pois estes foram presentes desses nomes citados acima. Caso alguém queira entrar em contato comigo: jefferson6063@hotmail.com

5 – Toca algum instrumento e/ou canta?

♪Não toco. Só canto quando ninguém está em casa kkkkk.

6 – Você também é fã do Eduardo Lages?

♪Sou um grande admirador do trabalho desse ilustre artista. Dentre algumas canções de sua autoria, destaco "Vê se volta pra mim", em parceria com Paulo Sérgio Valle, canção presente no disco Roberto Carlos 1998.

7 – O que gostaria que o maestro gravasse em futuros projetos?

♪O que o maestro gravar será bem aceito. É um cara que tudo o que faz é com qualidade, amor e dedicação.

8 - Um compositor brasileiro?

♪Tirando Roberto e Erasmo, meu voto vai para Michael Sullivan. Esse é um grande nome na música brasileira. Compositor de músicas como: "Amor perfeito", "Estranha loucura", dentre outras mais.

9 - Um músico brasileiro?

♪Eduardo Lages.

10 - O arranjo que mais aprecia em alguma canção nacional?

♪Os arranjos das músicas "Vê se volta pra mim" e "Apocalipse" são perfeitos.

11 - Cite três discos que escuta sem pular nenhuma faixa. (pode ser do rei ou de outros artistas também)

♪Roberto Carlos 1984, 1985 e 1990.

12 - O que gostaria de ouvir Roberto cantar em seus shows?

♪Eu vou sempre amar você, Vê se volta pra mim, Só vou se você for, Você é minha, Todo mundo está falando (versão), Águia dourada.

13 - Seu especial de fim de ano favorito?

♪Gosto de todos! Mas tenho um carinho especial pelos de 1992 e 1994.

14 - Um dueto inesquecível desses especiais?

♪Todas as manhãs, com Chitãozinho e Xororó, em 1992.

15 - Quem ainda merecia ser convidado para o especial de fim de ano?
♪Amado Batista

16 - Qual dueto em disco gostaria de ver com Roberto?
♪Eduardo costa. Seria uma junção de vozes incríveis.

17 - Além do rei, quais outros artistas aprecia na música brasileira?
♪Meu gosto musical é variado. Mas citando alguns nomes: Tom Cléber, José Augusto, Amado Batista, dentre outros.

18 - Um trecho de uma canção?

♪"E se alguém me perguntar 
Se é possível se medir o meu amor, eu vou falar: 
Que é o mesmo que contar com um conta-gotas 
Quantas gotas tem o azul do mar. 

Mas se você quer saber 
O tamanho desse amor que é tão bonito 
Eu não sei o que dizer, 
Pois não sei qual o tamanho do infinito."

(Quando digo que te amo, Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1996).

19 - Como define Roberto Carlos?

♪Indefinível! Não há como definir o talento e a pessoa dele.

20 - Quem você sugere para entrevistarmos nesta série?

♪Edilson Garcia. Sem dúvida um grande fã do "REIBERTO". Rsrs

Jéfferson, muito obrigado por dispor de seu tempo e mostrar um pouco do que você pensa sobre música e sobre o maior artista da música brasileira de todos os tempos. Um bom menino do sertão, só mostra a nós que o bom gosto pela música não tem idade nem distâncias geográficas e isso só fortalece a ideia de que Roberto reina na música, em todos os lugares deste país tupiniquim. 

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

CD e DVD Fagner & Zé Ramalho

Pensei que já havia citado este grande encontro. E o citei, mas foi na série Olhando as estrelas. Como projeto de CD e DVD ainda não comentei sobre esta grande pérola, indispensável na coleção de quem ama música brasileira: o encontro entre estes dois grandes nomes que resolveram unir suas carreiras neste projeto ao vivo, gravado no Rio de Janeiro.

Guiado apenas por seus violões, num projeto inicialmente acústico e depois acompanhado pela banda, o repertório passeia por clássicos de ambos: Dois querer, Asa partida, Pelo vinho e pelo pão, Mucuripe, Noturno, Chão de giz, Romance no deserto, A terceira lâmina, Jura secreta/Revelação, Fanatismo, Garoto de aluguel, Eternas ondas, Kamikaze, Pedras que cantam e Admirável gado novo com novos arranjos e duetos inéditos.

A belíssima Canção da floresta é a grata novidade do projeto que reúne estes dois astros que já haviam gravado um ao outro, um no disco do outro e vice-versa e finalmente resolveram nos presentear com este belíssimo projeto ao vivo. Acho que cabia uma homenagem a Gonzaga, figura ilustre que é raiz de ambos, a meu ver, mas não posso deixar de enfatizar que temos aqui um dos melhores projetos da carreira de ambos.

Um forte abraço a todos! 

domingo, 21 de agosto de 2016

♫Corsário♫

Esta é mais uma daquelas belas canções que a gente tem que parar pra ouvir, refletir e buscar entender o que ela tem para nos dizer e deixar em nós contínuas reflexões. Gravada por Elis, Ney e principalmente por seu criador, João Bosco, não vou entrar no mérito de interpretar aquilo que imagino que a letra vem nos dizer, verso a verso, mas apenas o que ela deixou em mim.

Há quem diga que a letra fala dos tempos difíceis, na época da ditadura e que nas entrelinhas há muito mais a se dizer, sobretudo pelo título, corsário, que remete a comandantes autorizados a atacar outros navios. Mas, observo um lado avassalador e também romântico ao citar as garrafas que vão por entre os mares, como antigamente, que levam as mensagens de um coração preso, coberto por neve, mas que ferve na vontade de atingir o caminho desejado que leva a algo ou, a meu ver, a alguém.

Corsário
João Bosco e Aldir Blanc

Meu coração tropical está coberto de neve, mas
Ferve em seu cofre gelado
E à voz vibra e a mão escreve mar
Bendita lâmina grave que fere a parede e traz
As febres loucas e breves
Que mancham o silêncio e o cais

Roserais, Nova Granada de Espanha
Por você, eu, teu corsário preso
Vou partir a geleira azul da solidão
E buscar a mão do mar
Me arrastar até o mar, procurar o mar

Mesmo que eu mande em garrafas
Mensagens por todo o mar
Meu coração tropical partirá esse gelo e irá
Com as garrafas de náufragos
E as rosas partindo o ar
Nova Granada de Espanha
E as rosas partindo o ar

Um forte abraço a todos!

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Domingo de sol...

Um grande sambista relembrado hoje pelo Blog Música do Brasil, este é Carlos Roberto de Oliveira, que todos conhecem apenas como Dicró. Natural de Mesquita/RJ, seus sambas bem humorados ganharam fama assim como os dos colegas Bezerra da Silva e Moreira da Silva.

Sua primeira canção foi gravada em 1976: Samba do sofá e a partir daí, outros sucessos vieram como Barra pesada, Botei minha nêga no seguro, Praia de Ramos, O falso barão, O genro, Funeral do Ricardão, Tá lotado, A cara do pai, Festa de caçador, Os sabores da mulher, Pega ladrão, Olha a rima, O sogro, Chatuba, O barrigudo, etc.

Dicró partiu para a eternidade em 2012, mas seus sambas, bem como os de seus contemporâneos estão aí para explicar um pouco do bom humor e das nuances que o povo brasileiro apresenta neste ritmo que retrata uma nação como nenhum outro e no qual Dicró foi e sempre será referência!

Um forte abraço a todos!

domingo, 14 de agosto de 2016

Filhos musicais

E hoje dia dos pais e o Blog presta uma homenagem aos pais da música brasileira, cujos filhos também enveredaram pelo mesmo caminho e se tornaram cantores, músicos ou compositores. E muitos são os bons exemplos dentro da nossa canção e é provável que me esqueça de vários.

Mas, como não citar Gonzagão e Gonzaguinha, já comentados em homenagens anteriores? Ou os filhos de Elis: João, Pedro e Maria Rita, sendo o primeiro, filho de Ronaldo e os dois últimos, filhos do pianista César Camargo Mariano. Os dois filhos de Roberto também tentam algo com a música: Rafael já gravou disco, sem muito êxito e Dudu é baterista da banda RC na veia. Preta também enveredou pelo caminho do pai Gil, com sucesso. Os filhos de Xororó, Sandy e Júnior formaram uma das duplas mais conceituadas. Wanessa Camargo também não decepcionou Zezé, assim como os filhos de Leandro e Leonardo, Tiago e Pedro, respectivamente.

No samba, temos Mart´nália como descendente musical de Martinho da Vila, e Diogo, filho de João Nogueira. Mas não podemos esquecer de Paulo Jobim, músico filho de Tom e Daniel, o neto do maestro soberano. Fiuk também dá os primeiros passos, assim como seu pai Fábio. E os filhos de Caymmi; Dori, Nana e Danilo? Enfim, com uma lista como esta, mesmo esquecendo algum ou alguns nomes, fica a reflexão se ser artista não é mesmo um dom que corre nas veias genéticas?

Um forte abraço a todos!